TOQUE DE RECOLHER NA TUNISIA.



                          Governo da Tunísia decreta toque de recolher na capital.

  •                                                      Após mais um dia de treino, deparei com está noticia, algo preocupante, pois são cidades que estão na rota da minha expedição, tenho fé em Deus que tudo vai da certo.
  •                                                      O governo tunisiano decretou nesta terça-feira toque de recolher na região metropolitana de Túnis, que compreende as cinco regiões em torno da capital, assim como nas províncias de Sousse, Monastir e Jendouba, após os confrontos da noite passada entre radicais islâmicos e forças de segurança.
  •                                                      Segundo um comunicado do Ministério da Defesa e do Interior, a medida, que será aplicada em oito províncias, começa a partir das 21h locais (17h de Brasília) desta terça-feira e se prolongará até 5h locais (1h de Brasília).
  •                                                     O escritório da Presidência indicou que a medida foi tomada levando em conta os ataques contra propriedades públicas e privadas que começaram na madrugada passada e continuaram ao longo do dia.
  •                                                     Aparentemente, o motivo desta nova onda de violência, liderada por radicais islâmicos, é uma exposição de vários artistas organizada no centro cultural Al Abdalia, situado na área residencial de La Marsa, a 18 quilômetros da capital.
  •                                                     No domingo, um grupo de jovens salafistas invadiu o centro cultural por considerar várias das obras expostas uma afronta contra os preceitos islâmicos, e queimou vários dos quadros e esculturas expostos.
  •                                                  Na segunda-feira, grupos extremistas atacaram vários prédios públicos e delegacias e enfrentaram as forças de segurança em vários bairros da capital.
  •                                                       O porta-voz do Ministério do Interior, Khaled Turush, informou que pelo menos 160 pessoas foram detidas em relação com os distúrbios, nos quais se ouviram disparos de armas, segundo comentaram a Efe várias testemunhas, que não puderam precisar a origem.
  •                                                     Diversos sites radicais denunciaram a atuação das forças de segurança por considerar que defendem os artistas, que muitos extremistas não duvidaram em qualificar de "infiéis", por suas criações.
  •                                                     Uma página extremista, após chamar os pintores de agressores do profeta Maomé, publicou os nomes dos autores das obras acompanhados de seus e-mails, seus endereços de trabalho e, em alguns casos, seus telefones.                                                   
  •                                                     No centro da capital, a polícia abortou nesta terça-feira uma tentativa de assalto a vários bares e estabelecimentos comerciais numa rua situada a 300 metros do Ministério do Interior.
  •                                                      O governo tentou aplacar a violência condenando o ocorrido, como fez o ministro de Direitos Humanos, Samir Dilou, que o qualificou de "atos terroristas imperdoáveis" contra os quais se aplicará a Lei Antiterrorista.
  •  
  •                                                               No entanto, as autoridades também prometeram julgar os artistas que tiverem atentado contra a fé e os valores.
  •                                                               Nesta linha, o grupo parlamentar do partido governista Al-Nahda, majoritário na Assembleia Nacional Constituinte (ANC) com 89 representantes do total de 216, indicou nesta terça-feira em comunicado que proporá "introduzir a proibição de atentar contra o sagrado na futura Carta Magna", que está sendo redigida no momento.

0 comentários:

Postar um comentário

Obrigado! Aguardo comentário.