Uma longa trajetória.

Imagem
  Em 1977, comecei a treinar Judô, na Academia Tang Soo Do Center, com os professores Mike, Tetsuo e Tikara, localizada na rua Ramos Ferreira, hoje funciona o Fórum Trabalhista de Manaus, onde sou Servidor Público. O tempo foi passando , uma época onde brigas eram constantes, um dia em uma lanchonete conheci o Aly Almeida, que me fez um convite pra treinar no Olímpico Clube, apesar de não ser bem visto pela maioria dos alunos, aceitei. Lembro o primeiro dia de treino de uma lado COG-CENTRO OLÍMPICO DE GINASTICA, do outro lado a academia de JIU-JITSU, apesar de vim do Judô tudo era novidade, primeiro por ter que encarar algumas feras que ali treinavam, Alfredo Jacauna, Luiz Alberto, Bidida, Gula, Casio Façanha, Paulinho peixe, Nilberto, Galdino e tantos outros. O tempo foi passando , Fiz parte da primeira turma de (PARAQUEDISTAS DO OLÍMPICO CLUBE). O tempo foi passando , fui treinar na academia do professor Luiz Fonseca no Conjunto Débora, uma época difícil, porem a vontade de trein

EL PAJUI/SANTA HELENA-VENEZUELA.

O começo de uma grande aventura um Trekking até El Abismo.
De Manaus para Boa Vista, em um ônibus confortável, patrocinado pela Empresa Eucatur.
Um café em frente a rodoviária, para seguir rumo a Santa Elena de Uairén, uma cidade venezuelana, capital do municipiode Gran Sabana. Fica a 15 km da fronteira com o municipio brasileiro de Pacaraima, no estado de Roraima. A cidade foi fundada em 1929, sua principal atividade econômica é a extração de diamantes. Seus atuais moradores são as famílias dos homens que trabalhavam nas minas de diamantes. É um ponto de interesse para empreendedores que querem começar um negócio.
No caminho uma parada obrigatória no km 100, para comer PAÇOCA prato típico da culinária brasileira, preparado com carne-seca desfiada socada com um pilão, misturando-se farinha de mandioca.
É obrigatório pegar La permission para seguir até El Pajui e devolver na volta.
Na primeira Alcabala,(Posto Policial), onde tem que mostrar La permission.
A verdadeira aventura é a estrada.
Um dia de caminha na chuva.

Hora de arrumar a barraca, fazer a janta e descansar, pois o dia foi longo.



No segundo dia o Trekking começou cedo.




Um lanche Biju, feiro de farinha de mandioca.




O que sobrou de um trator foi feito este monumento na praça central, e aconselhável levar comida e água.
Contei com a colaboração do Sr. Venâncio Rodrigues. O índio internacional, como ele gosta de ser chamado.
Seguindo o trekking rumo a El Abismo O lugar é muito bonito, você tem a visão de cima de um Tepui (montanha tipica da região) mas sem ter escalado nada.




Companheiro de aventuras.

Placa em homenagem a um turista que caiu da montanha.
Seguindo para Pozo Esmeralda, um canto bastante agradável, rodeado por florestas, o que vale a pena conhecer. É perfeito para um mergulho, o fundo é de areia e águas cristalinas e gelada.






Hora de retornar, obrigado Deus por mais está aventura, a minha família pela paciência, ao meus amigos e colegas de trabalho, aqueles de acessam o blog e a todos que de alguma forma colaboram com estas aventuras, EUCATUR, DR. MARIO SOUZA, e um agradecimento especial ao Coronel Paulo Sergio, meu cunhado e irmão polo incentivo e a preocupação.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

De MANAUS para MANACAPURU.

Uma longa trajetória.

ENERGÉTICO NATURAL.

"Os Passos de Anchieta" 100 quilômetros entre Anchieta e Vitória.

RECEITA DA VOVÓ, remédios caseiros.