Postagens

Mostrando postagens de julho, 2019

Uma longa trajetória.

Imagem
  Em 1977, comecei a treinar Judô, na Academia Tang Soo Do Center, com os professores Mike, Tetsuo e Tikara, localizada na rua Ramos Ferreira, hoje funciona o Fórum Trabalhista de Manaus, onde sou Servidor Público. O tempo foi passando , uma época onde brigas eram constantes, um dia em uma lanchonete conheci o Aly Almeida, que me fez um convite pra treinar no Olímpico Clube, apesar de não ser bem visto pela maioria dos alunos, aceitei. Lembro o primeiro dia de treino de uma lado COG-CENTRO OLÍMPICO DE GINASTICA, do outro lado a academia de JIU-JITSU, apesar de vim do Judô tudo era novidade, primeiro por ter que encarar algumas feras que ali treinavam, Alfredo Jacauna, Luiz Alberto, Bidida, Gula, Casio Façanha, Paulinho peixe, Nilberto, Galdino e tantos outros. O tempo foi passando , Fiz parte da primeira turma de (PARAQUEDISTAS DO OLÍMPICO CLUBE). O tempo foi passando , fui treinar na academia do professor Luiz Fonseca no Conjunto Débora, uma época difícil, porem a vontade de trein

"Os Passos de Anchieta" 100 quilômetros entre Anchieta e Vitória.

Imagem
Foram muitas horas de treino, e uma preparação especial, pois seriam 100 km, muitos deles pela praia e na companha do sol, e mais o peso da mochila, pois foi preparada para quatro dias e três noites. A coisa e bruta, Ameixa, passas, tucumã, pé de moleque, castanha, biju, goma de tapioca, e a farofa de carne seca com tucumã. A caminhada anual, promovida pela ABAPA - Associação Brasileira dos Amigos dos Passos de Anchieta Os Passos de Anchieta é o nome do roteiro que reconstitui a trilha habitualmente percorrida pelo Padre Anchieta nos seus deslocamentos da Vila de Rerigtiba, atual cidade de Anchieta, à Vila de Nossa Senhora da Vitória, onde cuidava do Colégio de São Tiago, em caminhadas quinzenais que ele empreendia nos últimos anos de sua vida. Quando preferiu recolher-se à vila indígena nas costas do Espírito Santo que tanto lhe evocava a sua San Cristoban de Laguna, em Tenerife, nas Ilhas Canárias, onde nasceu. A força da personalidade que seguramente foi um dos maiores nomes do Bras

Uiramutã “local de espera de aves”

Imagem
Uiramutã   é conhecida não só como cidade indígena como também pelas cachoeiras que compõem sua beleza natural. O acesso é difícil, em grande parte por estrada de terra, mas o destino vale à pena:  um município simples, com ecoturismo e paisagens deslumbrantes. Fundada em 1995, como desmembramento do município de Normandia, a extremo norte de Roraima.  A cidade fica na tripla divisa entre Brasil, Guiana e Venezuela, e seu nome significa “local de espera de aves” Marco dessa divisa é o Monte Caburaí, com 1.456 metros de altitude.  Uiramutã é um pouco menor, mas ainda assim alta.  São 840 metros de altitude,. Rodeada por serras, vales e montanhas onde se escondem as cachoeiras que atraem o turismo para a região. Sete Quedas  são os pontos mais populares. A primeira é uma cachoeira pequena, com um grande poço de água esverdeada ideal para banho, e pode ser acessada de carro (7 km pela estrada de terra).  Já a segunda, mais radical, só p

Postagens mais visitadas deste blog

De MANAUS para MANACAPURU.

Uma longa trajetória.

ENERGÉTICO NATURAL.

"Os Passos de Anchieta" 100 quilômetros entre Anchieta e Vitória.

RECEITA DA VOVÓ, remédios caseiros.